Tag: 25 fatos literários sobre mim

Oie! O LA foi tagueado pelo blog Devaneadora de Ideias para que eu revelasse 25 fatos literários sobre mim, então, vamos lá 😀

  1. Eu comecei a ler porque eu queria saber o que acontecia nas historinhas da Turma da Mônica. Minha mãe me ajudou a formar as palavras e eu acabei lendo sozinha pela primeira vez um gibizinho da Magali.                                                                           turma da mônica
  2. Eu amo tanto quadrinhos que colecionei as revistas da Turma da Mônica dos 7 aos 13 anos;
  3. Eu escrevi meu primeiro “livro” ( uma história de 45 páginas em um bloco de papel) aos 9 anos;
  4. Ler é tão importante e vital para mim que eu acabei me formando em Letras rsrs    
  5. Quando entro numa livraria, me sinto num santuário. Gosto de tocar as lombadas dos livros, abri-los, sentir o cheiro de novo fundindo-se com o do café, analisar as capas, as orelhas…
  6. Meu maior sonho é publicar um livro 😀
  7. Escrever para mim é terapêutico.  
  8. A minha série de livros favorita, disparadamente, é Harry Potter: sinto muito orgulho de ser fã, de ter acompanhando os lançamentos de livros e de filmes e de ter feito muitos amigos por causa da saga;
  9. O maior livro que li foi O Senhor dos Anéis, volume único (1232!)
  10. Eu não gosto de livros de autoajuda;
  11. Eu tinha muita rejeição em relação ao livro “A Moreninha” porque, quando tinha 10 anos, minha mãe me fez lê-lo;
  12. “Tonico”, de José Rezende Filho ( coleção Vaga-lume) e “Histórias da Turma”, de Márcia Kupstas, foram os primeiros livros que li mais de uma vez na vida ( isso entre os 9,10 anos);
  13. Momentos literários com os quais chorei: a morte de Dumbledore em HP e o Enigma do Príncipe e quando a rua de Liesel é bombardeada em A Menina que roubava livros
  14. Adoro livros que misturam ficção com fatos históricos reais;
  15. Eu realmente acho que a Capitu não traiu o Bentinho rsrs;
  16. Escritores que não devem ser simplesmente lidos, mas degustados: Clarice Lispector e Guimarães Rosa. No caso deles, a pressa é mesmo inimiga da perfeição, não consigo ler nada deles se não for saboreando cada palavra;
  17. Eu queria conhecer a J.K.Rowling, sério. Tomar um café com ela, conversar, pedir dicas, trocar ideias. Gosto muito e a admiro bastante.  
  18. Adoro quando meus alunos demonstram interesse por um livro! Fico toda orgulhosa por eles!
  19. Meu poema preferido é Tabacaria, de Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa;
  20. Almoço rapidinho em alguns dias dá pra eu retirar uma hora entre um trabalho e outro para eu poder ler um livro;
  21. A literatura, realmente, é uma das coisas de que eu mais adoro na vida; 
  22. Quando estou pensando em escrever algo é como se os personagens falassem comigo dentro da minha cabeça (meio louco, talvez?);
  23. Ler Drummond me acalma;
  24. Quando leio tudo à minha volta some: o que há é apenas eu e a história ali à minha frente;  
  25. Os livros são os melhores companheiros que alguém pode ter. Um bom livro te ensina, te faz viajar, te torna uma pessoa melhor ao término dele. Os melhores livros que li me fizeram ver o mundo e as pessoas de outras formas; por isso, eu, provavelmente, não viveria sem eles.

 

 

Resenha de “Brilhantes”, de Marcus Sakey

brilhantes RESENHA

Olá! Voltei às resenhas!

Bom, gostaria de compartilhar com vocês que passei por um período meio difícil para ler. Além do trabalho ( gente, é muita coisa pra fazer!), eu passei por um “bloqueio de leitura”: aquela situação em que você sabe que tem trocentas coisas pra ler, uma pilha de livros esperando, e… nada. Pois é. Para fechar esse meu hiatos, ainda por cima, eu tive um problema com a minha visão, o que atrapalhou bastante.

Eu tenho ceratocone, uma deformação nas córneas que altera a espessura e o formato delas. Uso lentes de contato rígidas desde 2008, e óculos apenas em alguns momentos. O problema é que nesse ano as lentes antigas me deram alergia e as novas demoraram muito para chegar. Resultado: passei mais de um mês com dor de cabeça, “forçando a vista” com os óculos e lendo num ritmo mais lento que o habitual.

Portanto, a leitura  de Brilhantes, de Marcus Sakey, foi bem arrastada. Mas a premissa do livro é muito interessante: a partir dos anos 80, crianças com poderes, ou “dons” passaram a nascer e a alterar o equilíbrio do mundo entre “normais”, ou seja, pessoas sem estes dons, e eles, os “anormais”. A trama é urbana, policial, tem momentos de tensão e perseguição policial, mas foi o lado em que o autor faz um paralelo entre a situação fictícia que criou com momentos históricos que conhecemos bastante da nossa realidade, pelo o qual mais me interessei: a perseguição nazista aos judeus e os ataques terroristas.                                                               

O protagonista é Nick Cooper, um brilhante do primeiro escalão, ou seja, que tem habilidades muito contundentes. Seu dom atua no campo da apreensão de dados comportamentais e no uso disso para evitar golpes numa briga, por exemplo, e até prever os próximos passos de quem estiver perseguindo porque, detalhe, Cooper é agente da DAR, o Departamento de Análise e Reação, criado pelo governo dos EUA. Seu trabalho é caçar brilhantes que estejam usando seus dons magníficos para o mal. Seu principal alvo é John Smith, um brilhante acusado de terríveis atos terroristas em nome da supremacia destes sobre os normais.

A gota d’água para a caçada se intensificar é quando, ao mesmo tempo em que a filha de Cooper é detectada como uma brilhante de primeiro escalão ( e estaria passível de passar toda a infância e adolescência em uma academia que prepara pessoas com esses poderes, para desespero do seu pai, pois estes lugares são horríveis), acontece um atentado muito sério na Bolsa de Valores de Nova York, e o resto, claro, não posso falar sem liberar spoilers importantes, mas posso adiantar: ele vai fazer de tudo MESMO para deter John Smith.

O que me motivou a comprar o livro foi a promessa de uma trama adulta, interessante, densa e que traria ação. Isso tudo foi-me dado, mas não do tanto que eu queria. Ao meu ver, a escrita de Sakey às vezes é muito descritiva quando não precisaria, “metida a esperta” quando ele não deveria e até os diálogos soam meio superficiais, meio clichês. Por exemplo: Gillian Flynn, a autora de Garota Exemplar, faria com certeza um trabalho superior neste quesito. Cooper é um protagonista OK, os outros personagens não me cativaram a ponto de gostar deles, nem mesmo Shannon, a garota com quem ele acaba tendo que cumprir sua missão por mais da metade do livro. Apesar de Brilhantes trazer questões políticas e atuais muito interessantes, e de as últimas sequências serem realmente bem feitas, o fato de não achar a escrita do autor tão madura quanto o tema não me fez terminar o livro com a minha satisfação saciada. Como é o primeiro de uma série, não sei se lerei os próximos…

Dicas para o ENEM – Linguagens!

ENEM

Oi, pessoal! -Estamos estreando uma nova sessão no LA, Dicas ENEM, em que sempre vou colocar coisas bacanas sobre Linguagens para quem está se preparando para o exame mais concorrido pro Brasil ( aliás,  neste ano o ENEM será nos dias 5 e 6 de novembro, hein?). A dica de hoje é sobre a escola barroca, um movimento artístico e cultural que ocorreu nos séculos XVI e XVII, e influenciou a literatura, a pintura, escultura, arquitetura e a música. Aqui no Brasil, caracteriza-se por ter sido a primeira escola que realmente tem obras de valor artístico genuinamente brasileiras, como os sermões do Padre Antônio Vieira e os poemas de Gregório de Matos. Uma dica de leitura para você entender melhor este período é o livro Boca do Inferno, de Ana Miranda, olha só:
Boca-do-inferno_ Ana MirandaBoca do Inferno é um romance que tenta mostrar uma terra marcada pela libertinagem, corrupção e luta pelo poder. Ana Miranda usa no livro diversas palavras e expressões tidas como chulas, com tom de critica à sociedade, que fazem referência a sátira de Gregório de Matos, um poeta do século XVII conhecido pelo apelido Boca do Inferno ou Boca de Brasa que fazia criticas ferrenhas a sociedade baiana da época. Ele faz parte da obra como um dos personagens. ( http://www.coladaweb.com/resumos/boca-do-inferno)

Abaixo, um infográfico que preparei para você saber o essencial sobre o Barroco:

barroco

Essential Book – 1º desafio!

essential book

Oi, pessoal!

O LA está participando de um projeto muito bacana, chamado Essential Book, que tem como base a postagem de fotos de acordo com uma meta a cada mês.

O desafio está estreando hoje ( será postado no dia 15 de cada mês) com fotos que representem a essência de uma personagem feminina de que você goste muito. A minha escolhida foi a Capitu, porque tanto sou uma machadiana de carteirinha (rsrsrs) como simplesmente sou fascinada pela força que a personagem possui até hoje. Sua astúcia, seu mistério, sua beleza, sua forma de envolver não só Bentinho, como a todos nós, que nunca saberemos ao certo se Escobar mergulhou ou não em seus olhos de ressaca: para mim, ela é uma das melhores!

capitu colagem
Fiz esta colagem porque é algo que eu sempre gostei de fazer, cortar figuras, colar… E acho que foi uma forma bem representativa de mostrar a mística em torno de Capitu.
citação dom casmurro
Amoooo esse livro ❤ Este é o capítulo em que Bentinho faz alusão à sedução de Capitu através do seu enigmático olhar.
uns olhos colagem
Este é o meu poema favorito de Gonçalves Dias, e acho que, particularmente este trecho, apanha muito da essência de Capitu.

Bom, espero que tenham gostado! Achei muito legal colocar a criatividade para fora, mal posso esperar pelo próximo desafio!

 

Tag: carnaval literário!

 

Preparados para a folia? Enquanto muito gente vai aproveitar e pôr o bloco na avenida, passando enquanto os outros abrem alas, eu curto aqui uma baita gripe que peguei rsrs. Mas não pensem que esqueci de vocês, leitores do LA, não: tem tag especial para a folia momina SIM! Eu a vi no canal Nuvem Literária ( aqui link: https://www.youtube.com/watch?v=AlkeFAJBcvo). Vocês também podem ver dicas de textos que falam sobre o Carnaval no post que fiz sobre a folia ano passado: ( https://livroarbitriodotco.wordpress.com/tag/carnaval/).

1- Samba-enredo: seu livro favorito de todos os tempos: 

dom_casmurroNossa, um só?! Eu não tenho como colocar apenas um, mas vou citar um que com certeza  está ali no topo da minha lista, que é Dom Casmurro, de Machado de Assis.

2- Mestre-sala e porta-bandeira: um livro com um casal arrebatador: 

Eleanor e Park, de livro homônimo. Eles têm uma química, uma fofura, uma coisa tão legal, que é impossível não se apaixonar junto com eles.

eleanor ama park

3- Harmonia: um livro que tenha sido bom do início ao fim: 

O Iluminado, de Stephen King. Alguns trechos são até que dispensáveis porque o autor é muito prolixo, mas a trama é bem amarrada e o estilo dele, bastante envolvente.

4- Comissão de frente: um livro cuja capa faz jus ao nome: 

As capas feitas por Mary GrandPré para as edições norte-americana e brasileira dos livros de Harry Potter, na primeira década dos anos 2000. São clássicas, retratam bem eventos dos livros sem dar muitos spoilers e a cores e formas são maravilhosas.

Colecao_-_Harry_Potter

5- Bateria: um livro que fez meu coração bater mais forte: 

Garota Exemplar, de Gillian Flynn, pois eu lia e não conseguia parar, e, ao mesmo tempo, ficava pensando, “meu Deus, essa mulher aprontou tudo ou o marido realmente a matou?”, kkkk.

6- Rainha de bateria: uma autora ou autor que “sambe” na cara da sociedade:

Aproveitando que ela foi indicada a entrar na corrida pelo Nobel de literatura recentemente ( e no dia do meu aniversário!), eu cito Lygia Fagundes Telles, por ser uma escritora de que eu gosto há tempos. Amo seus contos, o romance As Meninas, amo sua escrita!