Resenha de “Feliz Ano Novo”

feliz ano novo

Um autor que sempre me lembra da minha adolescência, ali por volta dos 16, 18 anos, é Rubem Fonseca. O engraçado é que os textos dele não têm nada voltado para essa idade, ao contrário; há crueza, dor, “a vida como ela é” ( com todos os palavrões incluídos) e uma reflexão meio desgraçada da vida.

Com certeza, eu lia e algo me fascinava; além destas características listadas acima, há o que eu mais gosto na estilística do Fonseca: ele não faz concessões. Se ele que usar determinado termo, ele usa e pronto, não floreia. E, mesmo que seus personagens e histórias sejam descritos com detalhes jornalísticos, há ainda espaço para a loucura, para o surreal e para o assombro diante da natureza humana.

Então, estava visitando uma biblioteca que sempre frequento e decidi ler Feliz ano novo, um livro deste cara genial. Repleto de contos que são uma sequência perfeita de cenas urbanas, perplexidade diante da vida e personagens bizarros, este livro foi censurado pela Ditadura Militar em 1976, porque denunciava também vários problemas de cunho social.

O conto do título narra um assalto violento praticado por dois ladrões miseráveis a uma Resultado de imagem para livro feliz ano novomansão. É sujo, tenso, cruel e mostra a banalização da pobreza, da violência. Este livro traz os contos Passeio Noturno I e II, que mostram como o verniz social não é capaz de aplacar todas as idiossincrasias do homem. Acho o primeiro, aliás, um dos melhores contos já feitos na nossa literatura, sério.

Outro conto que chama a atenção pela narrativa acelerada e o ritmo absurdo dos acontecimentos é Agruras de Um Jovem Escritor; outro que é agridoce, de certa forma, é Corações Solitários, em que um jornalista aceita trabalhar em um jornal voltado para o público feminino. Aqui também há um conto com o personagem Mandrake, que é recorrente na obra do escritor ( Dia dos namorados). Também destaco O campeonato, o mórbido Nau Catrineta e a forma interessante como a linguagem foi trabalhada no conto 74 Degraus.

Resultado de imagem para rubem fonsecaRubem Fonseca é um dos maiores escritores da nossa chamada 3ª Geração Modernista; ganhador do maior prêmio da língua portuguesa, o Camões, ele também foi jornalista, empresário e policial.

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha de “Feliz Ano Novo”

  1. Nossaaa, Karlinha, nunca li nada do Rubem Fonseca, e agora fiquei com muita vontade! 🙂
    Um livro de contos como esse pode ser uma boa pedida, pois vai me colocar em contato com várias características do autor. O que vc acha? Recomenda pra começar?
    Fiquei muito curiosa pelo Passeio noturno I.
    Beijãoooo!
    Nati

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s