Resenha de Perto do Coração Selvagem

Este foi o primeiro livro publicado por Clarice Lispector. Mesmo para quem já leu outro livro dela ( no meu caso, A Hora da Estrela), e vários contos, foi um impacto muito profundo ler esta obra. Seja pelo nível linguístico, em que o português é trabalhado com muita perspicácia, como pela investigação psicológica intensa, não dá para sair imune da experiência de ler Perto do Coração Selvagem.

O romance conta a história de Joana, ou melhor, vamos acompanhando Joana e seus questionamentos, filosofias, digressões e reações dela diante do mundo ao longo de fatos em que, por acaso, ligados entre si, vão formando a sua trajetória. Não é um livro de obviedades, e é algo que exige de você uma entrega, pois é preciso seguir o fluxo de consciência de uma protagonista complexa.

perto+do+coracao+selvagem+2+edicao

A complexidade dela, que é inerente a sua personalidade, é percebida desde criança, quando faz indagações capciosas ao seu pai. O tempo passa um pouco, e Joana o perde, indo morar, ainda menina, na casa dos tios, já que também era órfã de mãe. Lá, sente-se uma intrusa, e não fica nada à vontade ao redor da tia, que também não a suporta, devido a um traço de caráter de Joana marcante desde a tenra idade: a sua amoralidade perante aos preceitos sociais. Num dia em que foram fazer compras, a tia a flagra roubando um livro; chocada e aturdida com a reação totalmente sem culpa da sobrinha ( a quem ela se refere como uma víbora), envia a garota para um internato.

Já no início da adolescência, Joana se apaixona por um professor particular que a instiga e dá conselhos:

– Bom é viver…, balbuciou ela. Mau é…

– É?…

– Mau é não viver…           perto do coração selvagem

– Morrer? – indagou ele.

– Não, não… – gemeu ela.

– O quê então? Diga.

– Mau é não viver, só isso. Morrer já é outra coisa. Morrer é diferente do bom e do mau.

Ainda jovem, ela se casa com Otávio, um homem que não parece ser o tipo que compreende a intensidade de Joana. Talvez por isso, ele a trai com Lídia, sua ex-noiva. Joana sabe tudo, vai lá conversar com Lídia, vê-la no auge da gravidez… As coisas funcionam de outro modo para a personagem principal, ela sente e raciocina com uma propriedade muito pessoal, por isso, a traição de Otávio não gera tanta comoção, mas ela decide que deve ser melhor os dois se separarem. Enquanto isso, ela ainda se envolve com um homem misterioso, que a segue, mas depois ele some e ela parte para uma nova jornada em busca de conhecimento pessoal.

perto do coração selvagem 2No romance, sentimentos são levados à última consequência através do fluxo de consciência da protagonista Joana, contrapondo as experiências de criança às de adulta. A vida da personagem é conduzida rumo ao coração selvagem, importando-se com o bem estar próprio e preocupada com o que lhe pudesse satisfazer. Joana traz internalizada a transgressão das normas sociais falocêntricas e, calcada nessa posição, busca compreender sua posição de mulher, sua alteridade e sua luta para estabelecer um discurso próprio. ( artigo acadêmico de Clarice Cerqueira Fernandes).

Como o trecho acima diz, meu comentário acerca do livro é: Joana é instintiva, não se adequa ao mundo a sua volta. Não sente culpa, ama às vezes, odeia também, mas a impressão que eu tive é que ela parece estar sempre adiante, sempre superior e sabendo de algo que os outros apenas confiam. Perto do Coração Selvagem é denso, não faz concessões ( tem certos cortes de narrativa bruscos), uma protagonista cheia de camadas a serem exploradas e que foi, definitivamente, o cartão de apresentação perfeito que Clarice Lispector poderia mostrar para a literatura brasileira.

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha de Perto do Coração Selvagem

  1. Karlinhaaa, por enquanto também só li A hora da estrela (gosto!!!) e alguns contos esparsos. Quero definitivamente o livro Todos os contos.
    Confesso que acho o tom da Clarice muuuito internalizado, a complexidade e o fluxo de consciência tornam a leitura um pouco pesada para mim. Mas também a acho genial e tem muito estilo!
    Não conhecia a história de Perto do coração selvagem, mas vc passou muito bem o espírito do livro! Fiquei curiosa! Vc escreve super bem!
    Beijãooo, desculpe o sumiço!
    Nati

    Curtido por 1 pessoa

    • Ohh, Nati, obrigada 😀
      Sim, Clarice é mto hermética msm, às vezes até dá um nó na nossa cabeça, mas acho um desafio que eu, por conta do trabalho com literatura, preciso aceitar. Eu entendo a correria, mas fico mto feliz de te ver por aqui ❤

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s