Livros Preferidos da infância e adolescência

Oi! Como vocês podem ver, o design do blog mudou um pouco; tudo “culpa” da minha procura por um visual bacana e que não canse os olhos do visitante. Ah, e o LA agora tem sua própria página no facebook! Acessem e curtam: https://www.facebook.com/pages/Livro-Arb%C3%ADtrio/346927425478431?ref=aymt_homepage_panel.

Este especial me foi indicado pela minha amiga maravilhosa Natasha Hennemann, do blog Redemunhando; na verdade, ela fez sua lista no vlog de mesmo nome ( visitem que é muito bom! Aqui o link: https://www.youtube.com/watch?v=eKOt8SBCxtY).

Bem, já disse aqui várias vezes que eu amo ler desde criança. Procurei listar realmente os livros que entraram para a minha memória afetiva; que me ensinaram coisas sobre o mundo além das que conhecia, que me marcaram de tal forma que as passagens do livro parecem ter sido vividas por mim.

Para começar, acho que tenho que citar Márcia Kupstas e seus livros maravilhosos, que me revoluco-em-mim-marcia-kupstas-14271-MLB3954043226_032013-Oinspiraram até a escrever meus primeiros rascunhos. Dela, me marcaram muito Revolução em Mim, em que uma garota arrogante vê o casamento dos pais e a vida confortável que tinha sofrer uma reviravolta. Ela vai para outra escola, conhece seu primeiro namorado, começa a se engajar politicamente, tudo isso participando intensamente do movimento das Diretas Já. Mas outro da mesma autora é um dos que mais guardo com carinho no coração: Histórias da Turma,que li pela primeira vez aos nove anos. Gente, os personagens, as tramas, HISTORIAS_DA_TURMA_1235072773Bsinceramente, eu sei o livro todo decorado! kkkkk Conta a história de uma turma de adolescentes que morava no mesmo prédio; originalmente, elas eram publicadas todo mês na revista Capricho no final dos anos 80 ( aliás, as referências à cultura teen da época são muito legais). Mesmo assim, os temas ( racismo, sexo, separação dos pais, novo casamento dos pais, independência, iniciativa social) continuam muito atuais.

Claro que eu não podia deixar de falar da Coleção Vaga-Lume, né? Um marco da literatura jovem brasileira, formou muitos leitores ainda na época da escola. Eu amava os livros do Marcos Rey, principalmente, mas o livro que eu mais adorei ler aos dez anos ( e eu o li 3 vezes) foi o tocante Tonico, de José Rezende Filho. A história do garoto de subúrbio que inveja liberdade do seu melhor amigo, um engraxate e menino de rua, o Carniça, me fazia olhar para uma realidade que eu ainda não tinha contato ( o mundo dos adultos). Muito bom.

Com doze anos, eu lembro bem que comecei a conhecer alguns clássicos. Os que eu mais curti foram Pollyanna ( depois descobri que minha mãe tinha um exemplar de Pollyanna Moça e claro que li também) e Papai Pernilongo.

Pollyanna_livros

Acho que, aos treze, foi a época em que mais li clássicos de toda a minha adolescência. Li Senhora, A Viuvinha e Cinco Minutos, do José de Alencar, A Escrava Isaura, de Bernardo Guimarães, A Moreninha ( que minha mãe me fez engolir goela abaixo. Fiquei maio de mal com o livro por anos kkk), O Morro dos Ventos Uivantes ( Emily Brontë), O Inspetor Geral ( Nikolai Gogol), mas o que eu mais gostei e lembro com o maior afeto do mundo foi Olhai os lírios do Campo, de Erico Veríssimo, livro do qual já falei aqui no blog. Ah, e foi quando eu li pela primeira, de muitas vezes Dom Casmurro, de Machado de Assis.olhai os lírios do campo dom_casmurro
Cinco Minutos - A Viuvinha - José de Alencar Senhora A Moreninha

livro-a-garota-e-o-roqueiro-luiz-antonio-aguiarDepois disso, eu continuei lendo de tudo um pouco, e destaco especialmente um livro que me instigou bastante, principalmente pela linguagem fragmentada: A Garota e o Roqueiro, de Luiz Antônio Aguiar. Em flashback, conhecemos a história da fã que consegue namorar com o ídolo inconsequente, tudo ponteado por muito lirismo e lembranças. Ah, outro livro que ameeeiii demais foi Ainda resta uma esperança, de J.M. Simmel, que eu vivo citando aqui rsrs.

E, enfim, cheguei à fase em que conheci uma certa série de livros de um bruxinho que estava fazendo muito sucesso: sim, Harry Potter! Estava no segundo ano do Ensino Médio e acho que foi uma das leituras mais determinantes da minha vida; sou muito orgulhosa de ter vivido aquela época com toda a intensidade, de ter conhecido amigos por causa de HP e por ser, realmente, da “geração potterhead”.

Harry Potter - Série

E, enfim, aos 17, 18, fui me aprofundando em mais leituras diferentes; lia muito contos do Rubem Fonseca ( adoro); li pela primeira vez Capitães da Areia, de Jorge Amado; descobri a poesia de Drummond, Fernando Pessoa, Manuel Bandeira. Uma coisa que sempre gosto de destacar é que na minha base sempre estiveram livros que me desafiassem de alguma forma; claro, li muito livro adolescente, mas ter lido (e gostado) de obras que eram realmente muito boas contribuíram demais para meu caráter e intelecto. Mais que uma lista “sentimental”, são dicas ótimas de leitura também! Bjus ❤

Anúncios

4 comentários sobre “Livros Preferidos da infância e adolescência

  1. Olá, Karla! Tudo bem? São tantos blogs que visito pelo leitor do WordPress que não sei se já passei por aqui… Por esse motivo já estou seguindo pois curti bastante seu espaço.
    Muito bacana… Visual clean e conteúdo interessante.
    Tenho um blog também, quando puder fazer uma visitinha ficarei mega contente e honrado, vou deixar o link abaixo!
    Bom, continue assim. Sucesso e boas postagens! 😉
    Ótimo fim de semana!

    Link: http://www.andrehotter.com

    hUg!
    #SpreadTheLove

    Ps; Adoro ler livros, mas moro de vergonha de fazer videos, mas escrevo sobre livros em meus blog, confira lá!

    Curtir

  2. Oi, Karla! 🙂

    YAY! Fico tão feliz que o LA esteja voltando à ativa! *-*
    Eu não posso dizer que fui uma criança leitora assídua, pois era muito “moleque” e passava o dia na rua com meu irmão e meus amigos. Mal assistia TV, acredita? Aproveitei muito a minha infância até os 10 anos, idade em que morei com minha avó. Mas, justamente nessa época, lembro de um livro que até hoje guardo, chamado Um rato na biblioteca. Lembro que gostava TANTO desse livro que cheguei a copiar todos as ilustrações! Leitora assídua me tornei depois de começar a ler Harry Potter. Por sorte, HP 3 foi leitura obrigatória na minha escola, na quinta série, e foi assim que me iniciei nesse mundo potterhead. Agradeço demais a J. K. Rowling por ter me feito gostar tanto dos livros dela, pois eles abriram portas para mim. Depois disso, lembro que li grande parte da coleção As Desventuras em Série (adoro o filme, embora nunca tenha terminado de ler os livros). E, lá pelos meus 15/16 anos, descobri a Meg Cabot, com A Garota Americana (presente do meu pai, pois a capa antiga é bem fofa e ele tinha me dito que se lembrou de mim). Daí, comecei a comprar T-U-D-O da Meg e, hoje, ela é uma das minhas inspirações como escritora. Nessa época, também li muito Dan Brown e alguns clássicos nacionais (destaque para, como digo sempre, Capitães de Areia – aliás, abri um novo espaço para meus livros aqui no meu quarto e retirei meu exemplar dos confins do armário e o coloquei na estante; pretendo relê-lo em breve!).

    P.S.: ainda não li Pollyanna e Pollyanna Moça, acredita? Comprei-os na Feira do Livro, no final do ano passado, mas sempre me esqueço de começá-los a ler! D:

    Amei a postagem, como sempre, você arrasa! ❤

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s