O Velho e o Mar

Editora Bertrand Brasil 81ª edição 124 págs
Editora Bertrand Brasil
81ª edição
124 págs

Para começar a ler Hemingway, eu pensei em dar o pontapé inicial pela história mais famosa dele: “O velho e o mar”. E, para não ser influenciada, nem li o prefácio feito para a edição que eu comprei (aliás, só leio prefácios depois de acabar a leitura, porque desisti de ler “Laranja Mecânica” após ler um prefácio enorme que me tirou toda a surpresa da trama rsrsr).

Então, sem reservas, totalmente entregue à escrita concisa do autor, eu enveredei pelo mar junto com Santiago, um velho pescador que já estava há 84 dias sem pescar nenhum peixe, virando motivo de pena e de zombaria por parte dos outros pescadores. Como um fiel escudeiro, há apenas um garoto, capaz de fazer tudo por ele e de amenizar sua pobreza e solidão. Apesar de o menino adorá-lo, seus pais o obrigaram a trabalhar em outro barco, e o velho Santiago estava trabalhando sozinho.

Quando Santiago parte para o mar, com a dúvida de que a sorte o abandonara ou não, não é só ele que se perde em reflexões; o leitor também meio que se sente como o velho pescador, envolvido em reminiscências. Em um determinado ponto do oceano, ele fisga um peixe forte e vigoroso, que o arrasta pelo mar adentro. O pobre pescador acha que finalmente a sorte está ao seu lado, e, com todas as forças físicas e psicológicas que consegue reunir, está disposto a ir até onde o peixe o levar para capturá-lo.

Santiago tem momentos de angústia e solidão; fala em voz alta sozinho, tenta se distrair, relembra fatos passados, faz promessas para conseguir capturar o enorme peixe. Algo que achei belíssimo foi a forma como ele encara a vida: com coragem. Aliás, acho que esta palavra sintetiza toda esta história. Coragem de superar dor, fome, obstáculos de toda espécie; coragem para enfrentar o melhor e até o pior. A relação dele com o peixe, a forma gentil como ele o trata, como um rival à altura que merece reverência e respeito também é muito bonita.

A escrita de Hemingway neste livro é direta, simples, descritiva, mas nem por isso o livro é “pobre” (tanto que foi um dos responsáveis pelo autor ganhar o Nobel de literatura em 1954). “Naquele ano, Hemingway foi o vencedor. Segundo informações do site oficial do Prêmio Nobel (nobelprize.org), o escritor foi laureado, na época, “por sua maestria da arte narrativa, mais recentemente demonstrada em ‘O Velho e O Mar’, e pela influência que exerceu no estilo contemporâneo “. (http://www.infoescola.com/livros/o-velho-e-o-mar-2/).

Eu não vou dar spoiler sobre o final, mas posso adiantar que fiquei tão chocada e surpreendida que prendi a respiração. É um destes livros que, mesmo não tendo um número enorme de páginas, se torna grandioso, até épico, porque te faz pensar, se adensar em questionamentos e mostrar nuances sublimes da alma humana. E sim, eu li o prefácio quando acabei. Segundo Luis Antônio Aguiar, “Parece que o autor nos passa que, às vezes, a verdadeira vitória não se pode mostrar, nem a verdadeira coragem é tão visível ou evidente quanto se pensa […]”.

Escritor norte-americano (1899-1961), fez parte da chamada "geração perdida", a de escritores que viveram entre as duas guerras mundiais. Foi jornalista, escritor, voluntário e correspondente de  guerra. Ganhou um Pulitzer e um Nobel.
ERNEST HEMINGWAY Escritor norte-americano (1899-1961), fez parte da chamada “geração perdida”, a de escritores que viveram entre as duas guerras mundiais. Foi jornalista, escritor, voluntário e correspondente de  guerra. Ganhou um Pulitzer e um Nobel.

y2pSUdFLfkPGMJajlApbCfBNPbpFdrJjSSecj5mgbUdeHhT7dnywrC1mNw5cEDsoLn3hwLL_yQU9ENxPnSrWVAkAGyDpjaP86DyU_yJ3gmFlH8o velho e o mar2 o velho e o mar 1

Anúncios

4 comentários sobre “O Velho e o Mar

  1. Gostei da resenha! Faz jus ao meu lindo Hemingway! Esse também foi o primeiro livro dele que eu li: Acho que é para muitos, pois é o mais acessível. Li ainda menina, acho que lá pelos quinze (nossa, faz teeeeeeeeeeeeeeeempo), e lembro que me doía, me encantava, me entristecia e amolecia o coração. Que bom que pude relembrá-lo lendo seu post! Obrigada! Abraço.

    Curtir

  2. Eu li esse livro já faz um tempinho, porque, assim como você, quis começar a ler Hemingway por essa história tão famosa.
    Todo mundo ama ele, mas eu não consigo x.x Fiquei tão cansada, achei a escrita dele muito “didática” x.x Sei lá, vai ver é meu gosto haha. Mas amei a sua resenha, ficou muito boa ^^ E seu blog é lindo ❤
    Bjoos.

    http://literatainofensiva.blogspot.com.br/

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s