A Revolução dos Bichos

a rev dos bichos Ler um livro como A Revolução dos bichos  é o mesmo que passar por uma intensa experiência de reflexão sobre o poder, política e humanidade.

George Orwell, o autor, que na verdade se chamava Eric Arthur Blair, foi um homem excepcional que descreveu, como poucos da sua época, a sociedade em que viveu. É  dele o conhecidíssimo e aclamado 1984 (saiba mais! http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/saiba-mais-livro-1984-george-orwell-678177.shtml), uma distopia desconcertante sobre o futuro sombrio que ele julgava estar reservado à civilização.

Em A Revolução dos Bichos, nós notamos a clara alegoria que do livro para criticar os regimes totalitários, particularmente o soviético. O estilo da URSS, comandada por um ditador implacável (Stálin), que abusa o poder e afasta seus opositores, criando versões próprias de vários acontecimentos e que aprisiona seu povo, ao invés de libertá-lo, cabe como uma luva para a Granja do Solar, em que se passa o enredo do livro.

Tudo começou quando Major, um porco velho que já tivera seus dias de glória, contando que teve um sonho com uma canção há muito esquecida, “Bichos da Inglaterra”, e conclamando todos os animais do local a lutar contra a exploração. Logo, os bichos aprenderam a cantar aquele que se tornou seu hino e fizeram uma revolução, expulsando todos os humanos de lá e administrando tudo, mudando o nome do lugar para “Granja dos Bichos”. Começam, então, a despontar a liderança do leitão Bola-de-Neve, que é o animal mais culto de lá e cria os princípios de uma filosofia chamada Animalismo. Porém, ele é traído e passa a ser perseguido por Napoleão, um líder cheio de lábia, ambíguo, que por meio da força e da propaganda acaba dominando todos os outros.

A Revolução dos Bichos é um daqueles livros que você lê de um fôlego só e se espanta com a clareza da escrita, as ideias e a evolução do regime totalitarista que domina gradativamente a granja. Faz você pensar que muitas pessoas viveram sob as mesmas condições que aqueles animais – e , de certa forma, as heranças deste tipo de governo ainda ecoam nos nossos dias.

“Todos os animais são iguais

Mas alguns animais são mais

iguais do que os outros” (pág. 130)



Anúncios

6 comentários sobre “A Revolução dos Bichos

  1. Adorei a resenha 🙂 Tenho muita vontade de ler porém ainda não tive tempo de ler :/ Estou empolgada para ver o filme que vai ser lançado, baseado nesse livro.
    Beijoos,
    setimaondaliteraria.blogspot.com.br

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s